fbpx

Conheça o Super Kit Promova Saúde v1
Criamos um super kit com 7 eBooks (livros digitais) fantásticos.
O valor promocional é somente para o lançamento do Portal Promova Saúde.

São 7 livros digitais de alta qualidade + 8 brindes. O preço normal do kit é de R$ 279,30. Mas na PROMOÇÃO, Comprando AGORA você vai pagar apenas… CLIQUE AQUI

Especialistas indicam dez alimentos que você deve comer todo dia

Saiba quais são os benefícios de cada um deles para a saúde e como fazer a combinação ideal

Manter uma vida saudável muitas vezes parece tarefa impossível. Não faltam sugestões de alimentos e remédios com promessas de benefícios ao corpo e à mente. Diante de tantas possibilidades, qual caminho seguir? Para diminuir essas dúvidas, especialistas ouvidos pelo DIA definem um cardápio básico, que facilita tudo para quem quer garantir o bem-estar. São dez alimentos (ou grupos de alimentos) acessíveis a todos, que devem ser consumidos diariamente para prevenir doenças e ainda ajudam a emagrecer com saúde.

A lista é variada e foi elaborada por nutricionistas e endocrinologistas, incluindo dicas do personal trainer americano Steve Diamond. Como podem ser substituídos por outros do mesmo grupo, dá sempre para ajustar o tipo de alimento ao seu gosto — e bolso! Peixes, ovos, legumes, cereais, frutas, verduras: o que não pode é faltar variedade.

Para Christina Maia, especialista em nutrição funcional, ortomolecular e fitoterapia, comer peixe pelo menos três vezes por semana é o ideal.

“Os peixes são ricos em ômega 3 que, além de reduzir o risco de doenças cardiovasculares e de triglicerídeos, por exemplo, ajudam a melhorar a memória, previne Alzheimer e até doenças autoimunes, como as reumáticas”, explica.

Segundo ela, é melhor dar prioridade às carnes brancas , visto que o consumo de carnes vermelhas pode potencializar o risco de câncer em pessoas que tenham essa pré-disposição.

Leia também

Desde agosto, o engenheiro Leandro Andrada Marinho, de 35 anos, começou a investir em uma dieta mais saudável. “A primeira semana é complicada. Passei por uma reeducação alimentar, reaprendi a comer! Reduzi sensivelmente o consumo de carboidratos e passei a comer mais saladas. Além de emagrecer, estou satisfeito com a qualidade de vida que conquistei”, conta ele, que eliminou cinco quilos e meio em apenas 45 dias.

Para Pedro Assed, da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, o ideal é não combinar carboidratos na refeição, como arroz, macarrão e farofa. “São alimentos saudáveis, que refletem bem a realidade do brasileiro. Segundo ele, cada alimento possui mais de uma substância. “A banana e o abacate, por exemplo, devem ser evitados por pessoas diabéticas”, alerta o endocrinologista.

Consumo de água é fundamental para ajudar no emagrecimento

Para Liane Quintanilha, do Conselho Federal dos Nutricionistas, além dos alimentos funcionais, é preciso tomar cerca de dois litros diários de água. “As pessoas se esquecem da água , mas ela deveria ser considerada um alimento fundamental! É de extrema importância que se beba bastante água durante o dia.” Estudos indicam que quem bebe mais água consome até 9% menos calorias.

A dica foi útil para a advogada Paola Rodrigues de Carvalho, 26, que perdeu seis quilos em dois meses. “Acordava me sentindo cansada, desmotivada. Não tinha vontade de nada. Aprendi com a reeducação a tomar muita água e passei a me alimentar basicamente de frutas, legumes, verduras e carnes brancas”, conta. “Além de me sentir mais saudável, melhorei minha autoestima”.

Baseada em azeite, tomate, oleoginosas e cereais integrais, além de uma taça diária de vinho, a dieta mediterrânea é considerada a mais saudável para o coração. Laranja, abacate, nozes e amêndoas também integram esta dieta. Inspirada nos hábitos dos países banhados pelo Mar Mediterrâneo, não é aconselhada, porém, para quem quer emagrecer rapidamente. Para Assed, embora seja mais leve, deve ser moderada. “Diferente da dieta do brasileiro, possui menos fibras, fundamentais para o funcionamento regular e saudável do intestino”, explica.

Reportagem da estagiária Marina Brandão

Fonte: Saúde IG

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para o topo